26 de maio de 2022

Setor varejista cresceu mais do que o esperado em março

Setor de varejo cresce mais que o esperado no mês de março

Setor varejista cresceu mais do que o esperado em março

O setor varejista do Brasil cresceu 1,7% em março, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O valor é o maior para o mês de março desde o início da série histórica, em 2011. O crescimento das vendas reflete uma leve recuperação na economia brasileira.

Dados do do Boletim Macro Fiscal da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia mostram que a estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) foi mantida em 1,5% para este ano. Em 2023, segundo a estimativa, o PIB deverá fechar com alta de 2,5%.

O assessor institucional da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC), João Carlos Dela Roca, destaca alguns motivos que levaram ao resultado do PIB. “Cremos que a expansão do setor agrícola e as exportações de commodities, que estão com bom preço, ajudam na exportação brasileiras e no saldo da balança comercial, aliado a redução da taxa de desemprego no Brasil, embora ainda muito elevada. Dessa forma a estimativa do PIB é de fechar o ano em 1,5%

Inflação

A estimativa da inflação também subiu. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que em março era estimado em 6,55% para o ano, teve a previsão elevada para 7,9%.

Para a FCDL/SC, esta elevação está ligada ao cenário internacional, incluindo os conflitos no leste europeu e a desaceleração da economia chinesa, provocada, em parte, pela covid-19. “As condições monetárias mais restritivas devem impactar a demanda de forma mais expressiva a partir de meados deste ano, principalmente os investimentos privados e o consumo de bens duráveis”, conclui Dela Roca.

Fonte: Fernanda Kleinebing | Agência Adjori/SC de Jornalismo

Foto: Fernanda Kleinebing | Agência Adjori/SC de Jornalismo