11 de maio de 2022

Segundo caso suspeito de hepatite ‘misteriosa’ é investigado em SC

A misteriosa nova hepatite, que preocupa médicos em SC

Segundo caso suspeito de hepatite ‘misteriosa’ é investigado em SC

Primeiro caso suspeito foi registrado em Itajaí, em uma menina de 7 anos; segundo paciente é um adolescente de 16 anos

A misteriosa nova hepatite, que preocupa médicos e pais e afeta crianças, já possui dois casos suspeitos SC. O primeiro é de Itajaí, Litoral Norte de Santa Catarina. A menina de 7 anos estava internada no Hospital Infantil Pequeno Anjo e já foi liberada na segunda-feira (9).

O segundo é de um adolescente de 16 anos, de Balneário Camboriú, também no Litoral Norte.Conforme a SES (Secretaria de Estado da Saúde), a menina apresentava quadro de hepatite aguda, inflamação do fígado, pele e olhos amarelados, náuseas, vômitos, diarreia e dor abdominal.No hospital foi constatado por meio de exame laboratorial o aumento das transaminases (enzimas hepáticas).

A criança recebeu atendimento adequado, tendo recebido alta hospitalar por apresentar bom estado geral e exames laboratoriais em melhora, para acompanhamento ambulatorial.Já o segundo caso foi registrado nesta segunda-feira (9). Segundo a Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) do Estado, o paciente é um adolescente de 16 anos.

Ele foi inicialmente avaliado em um hospital de Balneário Camboriú, no dia 5 de maio.O adolescente havia iniciado com os sintomas em 29 de abril, como: náuseas, vômito, sonolência, urina de cor escura e febre, além de alterações nas enzimas hepáticas evidenciadas nos exames laboratoriais. Ele aguarda resultado de exames para hepatite do tipo A, sendo negativo para os tipos B e C, além de outros exames complementares.

O jovem não precisou ser internado e está sendo acompanhado em casa pela vigilância epidemiológica estadual e municipal.Os casos foram atendidos conforme fluxo estabelecido na Nota de Alerta nº 07/2022 – CIEVS/DIVE/LACEN/SUV/SES/SC, notificados ao Ministério da Saúde pelo CIEVS. “Assim que tomamos conhecimento dos casos, seguimos o protocolo e informamos imediatamente ao Ministério da Saúde. Além desse procedimento, continuamos acompanhando e prestando apoio aos municípios na investigação dos casos notificados”, informou o médico infectologista do CIEVS, Fábio Gaudenzi. Em nível mundial, diversos estudos estão sendo realizados para verificar possíveis relações da doença com outros vírus.

Os casos estão sendo investigados pelas Secretarias de Saúde Municipais de Itajaí e Balneário Camboriú com apoio da DIVE e do LACEN/SC (Laboratório Central de Santa Catarina) para a realização dos exames laboratoriais necessários.

Fonte: wh3