JORNAL DA FRONTEIRA, 21 de janeiro de 2022
20 de agosto de 2020

Após confusão em atestado de óbito, vítima de Covid-19 é velada com caixão, no PR

Família afirma que o atestado de óbito indicava que o paciente tinha morrido de pneumonia; hospital onde o paciente estava internado disse que não sabia que ele tinha testado positivo para a doença

Após confusão em atestado de óbito, vítima de Covid-19 é velada com caixão, no PR

Um paciente que testou positivo para Covid-19 e morreu na manhã de quarta-feira (19), em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, foi velado com o caixão aberto por causa de uma confusão no atestado de óbito emitido pelo hospital, que indicou que a morte tinha ocorrido por pneumonia.

A medida contraria as recomendações sanitárias para conter as transmissões do novo coronavírus e também o decreto municipal, que não permite a realização de velórios com vítimas de Covid-19 na cidade. Pelas regras, a família tem 20 minutos para se despedir do familiar em um local aberto como, por exemplo, no local do sepultamento.

Segundo a prefeitura, a vítima é a 31ª a morrer na cidade por causa da doença. O homem tinha 46 anos e estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário há dez dias.

Confusão
A família disse que não sabia que ele tinha Covid-19 e que, por conta disso decidiu fazer o velório sem se preocupar com as restrições de coronavírus.

No entanto, após receber a confirmação da morte pela doença, através da Secretaria Municipal de Saúde, os familiares afirmaram que fecharam o caixão.

O Hospital Universitário disse, por meio de nota, que após a morte do paciente e a liberação do corpo, quando a família já fazia o velório, a equipe do hospital foi informada pelo município que o paciente passou pelo teste de Covid-19 no dia 10 de agosto e que o resultado, que saiu três dias depois, deu positivo para coronavírus.

A secretaria de saúde disse, por sua vez, que no momento da solicitação do leito para o HU, a equipe informou no sistema interno que o paciente tinha suspeita da doença. Quando saiu o resultado, a informação também foi repassada para um sistema geral, em que o HU também tem acesso.

Em nota, a Funerária Princesa disse que foi orientada a registrar boletim de ocorrência porque na declaração de óbito não constava a causa da morte por Covid-19. Com isso, segundo a funerária, não foram repassadas as orientações corretas para que a empresa seguisse o protocolo de atendimento em caso de suspeita ou confirmação da doença.

Essa é segunda vez que um paciente com Covid-19 é velado com caixão aberto em Ponta Grossa.

Coronavírus em Ponta Grossa
De acordo com o boletim mais recente da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa), Ponta Grossa tem 1979 casos confirmados de Covid-19 e 27 mortes. Em todo o Paraná são 107.016 confirmações e 2.751 mortes.

Fonte: G1