1 de julho de 2022

2º Encontro dos formandos em Agropecuária de 1987 é realizado em Bom Jesus do Sul

Turma do ano de 1987 se reuniu no município no último final de semana. Encontro reuniu ex-alunos de várias cidades do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso

2º Encontro dos formandos em Agropecuária de 1987 é realizado em Bom Jesus do Sul

Vários ex-alunos do colégio agrícola de Clevelândia realizaram o 2º Encontro dos Formandos, no município de Bom Jesus do Sul. Turma de 1987, se reuniu no último domingo, dia 26.

Entre os ex-alunos da turma de 1987, estão dois formados bonjesuenses, o prefeito Hélio Surdi e o presidente do Legislativo Genuíno Demarchi.

Durante o encontro os ex-alunos compartilharam histórias e vivências que tiveram durante os três anos de estudos, quem também participou da confraternização foi a professora da turma Lizeta Maria Holdefer.

O prefeito Helio destacou a importância do reencontro para a troca de experiencias e principalmente relembrar os momentos vividos.

“Foi muito bom esse reencontro, poder relembrar um pouco da nossa história, falar das nossas famílias, das nossas experiências e de cada momento vivido desde aquela época. Se passaram 38 anos desde que nos conhecemos de lá para cá muitas coisas mudaram, no entanto é sempre muito gratificante poder estar junto daqueles que fizeram parte de nossa história. Vivemos três anos como se fossemos uma família, compartilhamos muitas histórias, alegrias, tristezas, algumas dificuldades, e com certeza rever essas pessoas é muito gratificante”, destacou Helio.

Dino De Marchi destacou as dificuldades da época, e a capacidade de fortalecimento que essa convivência criou em cada um.

“Naquela época, 38 anos atrás era tudo diferente, as dificuldades eram bem maiores, a locomoção, tudo era diferente. Para nós ficar internado lá, praticamente 3 anos convivendo com mais de 200 pessoas todas com suas particularidades, isso nos fortaleceu, e ao mesmo tempo criou um laço muito forte entre a gente. Isso nos ajudou a vencer na vida e hoje não tem coisa melhor gente poder estar reunido e confraternizando”, afirmou Dino.

Quem também esteve presente e relembrou aquela época foi uma das professoras da turma, Lizeta Maria Holdefer.

“Para mim é motivo de orgulho poder reencontrar alguns de meus alunos, nós que convivemos tanto, que ensinamos e também aprendemos. Poder estar aqui vivendo esse momento me deixa muito. A gente sente que a vida ainda tem valor porque vê que eles têm família, estão bem de vida, o triste seria ver um aluno da gente caindo numa valeta ou não ter o que comer, mas graças a Deus aqueles 18 anos que eu trabalhei na escola agrícola todos que encontro estão muito bem, e isso me traz o sentimento de dever cumprido”, enfatizou a professora.