Siga as nossas redes sociais



EDIÇÃO IMPRESSA

jornaldafronteira sim

Esportes

Prisão, inspiração em Ronaldo e artilharia: conheça Martínez, rival do Grêmio na Libertadores

12 Março 2019 13:51:06

Argentino de 26 anos tem seis gols na competição e história de vida baseada na superação

Foto: Norberto DUARTE / AFP

Um artilheiro para lá de improvável se apresenta como principal ameaça ao gol do Grêmio na partida desta terça-feira, na Arena, pela segunda rodada da Libertadores. Ex-catador de lixo e presidiário, o argentino Adrián "Maravilha" Martínez desponta como o jogador mais perigoso do Libertad. 

O mais curioso é que nem nos sonhos mais ambiciosos o atacante de 26 anos imaginaria vivenciar tal momento. Recontar a breve carreira do atual artilheiro da Libertadores é como escrever sobre superação. 

Adrián Martínez é um típico caso de alguém que não tinha quase nada. Não teve categorias de base, um padrinho que o orientasse na carreira ou uma estrutura familiar que o possibilitasse treinar e aperfeiçoar o futebol. Se abraçou na fé e na inspiração em Ronaldo Fenômeno para criar uma carreira digna de filme. Martínez teve de atravessar as mais diversas barreiras, como os problemas financeiros, um acidente de carro e até a prisão. 

"Eu nunca disse que esse seria meu trabalho, nunca imaginei jogar profissionalmente, mas sempre gostei. Eu não tive nenhuma referência, nem ninguém que me motivasse a seguir, só um amigo que confiou em mim" (Martínez, para o site da Conmebol) 

Ligas amadoras

Nascido em Campana, localizada na província de Buenos Aires, Martínez trabalhava como catador de lixo para garantir uma módica renda extra à família. Quando sobrava um tempinho, lá pelos 17 anos, disputava suas peladas e exibia talento com o pé esquerdo em ligas amadoras.

Por conta de um acidente de carro, quase perdeu a mão. Mas o maior obstáculo da vida ainda estava por vir. Em 2014, teve o irmão baleado por três tiros. Na confusão toda que isso gerou, foi acusado de atear fogo na casa do agressor. 

Passou seis longos meses com visão coberta pelas grades da cadeia até conseguir provar inocência. Cada dia enclausurado, no entanto, serviu como motivação ao argentino para encontrar a fé. 

A partir da liberdade, viu a vida sorrir pela primeira vez. O período sob cárcere não o fez perder a habilidade com a bola de futebol, e nem a confiança de um amigo, Matías Bianchi. Foi ele o principal incentivador para que o hoje atleta desse uma guinada na carreira e, sobretudo, na vida. 

- Matías Bianchi é um grande amigo que confiou em mim, na minha capacidade esportiva. Me disse que quando eu saísse da prisão iria me ajudar, e assim foi. Ele pagou meu salário, me deu confiança. Aí começou um sonho. Quem sabe, se não tivesse entrado na prisão, nunca teria conhecido Deus, nem teria a chance de jogar - diz. 

Inspiração em Ronaldo 

Adrián Martínez iniciou uma vida completamente nova em 2016, ao treinar no Defensores Unidos, clube da quarta divisão argentina e que deu espaço para o talento do atacante florescer. Inspirado no futebol de Ronaldo, ganhava na corrida dos adversários e fazia gols com naturalidade.

A volta por cima o rendeu um apelido. Tal como Ronaldo foi o Fenômeno, também por superação na carreira, Martínez virou "Maravilha".

- Ainda tenho muito a percorrer para ser como o Fenômeno, mas o adoro como jogador - ressalta.

À medida em que evoluía em campo, chamava atenção de clubes maiores. Em 2018, foi contratado pelo Sol de América, clube da primeira divisão paraguaia. Imparável, empilhava gols no Clausura - foram 13 em 20 jogos.

Adrián Martínez foi contratado pelo Libertad em dezembro de 2018, até então, como um completo desconhecido, uma aposta no escuro. Aproveitou as chances que teve e ganhou espaço: são sete gols em 10 jogos até o momento, seis deles na Libertadores.

Com a camisa 11 às costas, impressiona a cada jogo. Pela Libertadores, ignorou a altitude dos 3,5 mil metros de La Paz para anotar o gol de empate contra o The Strongest. Na volta, foi ainda melhor: balançou as redes três vezes na goleada por 4 a 1.

Na semana passada, mais uma vez mostrou o faro goleador. Foram dois gols na goleada de 4 a 1 em cima do Universidad Católica.

- Na ausência de outro atacante, começou a fazer gols que valeram o passe de liberdade. Ele rapidamente se adaptou ao clube, mas não era o titular até que fosse descoberto na Libertadores com gols. Eles o chamam de "Maravilha". Agora, forma um ataque temível ao lado de Cardozo - conta Guillermo Caballero, jornalista da rádio paraguaia 650am.

Martínez hoje se tornou o principal jogador do Libertad, nome que certamente será falado nas preleções de Renato Gaúcho. Dessa vez, no entanto, terá como adversários Geromel e Kannemann. Mas, se o atacante antes era desconhecido, certamente terá o respeito dos defensores gremistas. Não só pelo futebol, mas pela história de vida.

Globo Esporte

Dionísio Cerqueira (SC) - Barracão (PR)
(49) 3644-1724 - editoria@jornaldafronteira.com.br
História | Contato